Vida Pessoal e Vida Profissional | ACI

Vida pessoal ao lado da vida profissional

Foco voltado para a compreensão total do ser humano

Vida pessoal ao lado da vida profissional

Arquivado em:

Trabalhar com pessoas não é uma das tarefas mais fáceis. Especialmente quando o foco é no desenvolvimento individual e profissional das pessoas. Mas como tudo na vida, algumas situações acontecem em decorrência de decisões feitas, seja em prol da carreira ou da vida pessoal.
Essa, de certa forma, é a história da Academia de Coaching Integrativo. Com um foco totalmente voltado para a compreensão total do ser humano. Segundo a diretora e fundadora da Academia, Rebeca Toyama, já são mais de 15 anos dedicando horas de estudos para entender o que faz com que os profissionais “apaguem” no decorrer de suas carreiras.

– Como funciona o trabalho da Academia de Coaching Integrativo?
O trabalho da Academia é complexo e eu posso afirmar, com toda certeza, que é um trabalho em constante desenvolvimento. Mas o nosso foco central é atender coachees que precisam entender e encontra o rumo de suas vidas, sem dividir o lado profissional e pessoal. Essa escolha tem uma explicação muito simples: o ser humano é único como um todo, você não é uma pessoa no trabalho e outra em casa, isso não acontece. Então, além de atendermos essas pessoas de forma integral, também desenvolvemos profissionais (coaches) que entendam claramente a necessidade deste atendimento integrativo.

– Qual é o método utilizado para desenvolver esse trabalho de coaching integrativo?
O trabalho integrativo considera o seu humano como um todo. A pessoa não é uma na vida pessoal e outra na vida profissional. É claro que nós focamos no aspecto que o profissional sente maior dificuldade, mas a nossa metodologia busca entender profundamente questão, abordando alguns aspectos emocionais no caminho.
Destaco que não é uma terapia. Temos um trabalho muito focado nas necessidades de quem está sendo no atendimento, além de determinados um tempo específico para o aconselhamento da pessoa. Geralmente, o profissional tem de 10 a 12 sessões, pois julgamos que este é o tempo ideal para resolvermos os problemas.

– Como os coachs que trabalham na Academia são preparados para atender aos profissionais?
Os coaches são preparados com uma carga densa de conteúdo e conhecimento dos mais diversos tipos. Eles precisam estar abertos a estudar bastante e se aprofundar nos temas que promovemos no curso. Além disso, também temos um braço social na Academia, e o coach só se forma se fizer parte disso.

– Uma das máximas da Academia é ‘promover o aprendizado por meio da experiência’. Este trecho em específico me chamou a atenção, pode explicar um pouco mais sobre como vocês desenvolvem esse trabalho?
O profissional sempre precisa trabalhar na prática o que ele aprende. E é aí que entra o nosso braço social. Geralmente, o coach precisa atender 10 pessoas gratuitamente, para só depois conseguir um certificado. Na nossa visão, esse é um destaque de nossa formação, que valoriza o conhecimento e o conteúdo do profissional. Nós valorizamos muito o aspecto humano, não apenas o lucro, e queremos que os profissionais formados por nós também tenham essa mentalidade.

– Agora vamos focar em na pessoa que busca a ajuda de um coaching. Em que fase da vida um profissional pode optar pela ajuda de um coach?
Todas as pessoas podem buscar ajuda de um processo de coaching integrativo, não importa a faixa etária. Explico isso pelo simples fato de que lidamos com os setênios aqui, ou seja, o indivíduo muda de ciclo a cada sete anos. Neste contexto, setênio, a pessoa lida com novos desafios. Um jovem de 21 a 28, por exemplo, está lidando com as dúvidas e as dificuldades de encontrar uma identidade e um objetivo. Na fase seguinte, de 28 a 35, o foco é desenvolver a carreira, no próximo, 35 a 42, os profissionais já se preocupam com deixar um legado. Enfim, a cada fase temos um tipo de preocupação e o coach pode auxiliar a solucionar medos e inseguranças.

 

RebecaAssinatura_frase

ACI